Time-Lapse (EmbryoScope)

                               

A preocupação permanente em melhorar as taxas de sucesso conduz também à constante atenção a todas as variáveis que possam influenciar positivamente a qualidade dos espermatozóides, ovócitos e embriões.

Neste sentido, o Centro de Genética da Reprodução iniciou, em 2005, a cultura in vitro dos gâmetas e embriões num ambiente muito mais próximo do existente in vivo nas trompas e útero, isto é, uma atmosfera proporcionada pela utilização de azoto (N2) em que a concentração de oxigénio é apenas de 5% (5% O2, 89% N2, 6% CO2), muito inferior à concentração de O2 existente na atmosfera resultante da tradicional mistura de ar (que contém cerca de 21% de O2) e 5% de CO2.

A sequência natural desta exigência de optimização foi a aquisição de incubadoras de última geração, incluindo duas incubadoras EmbryoScope, o que veio permitir acrescentar a esta atmosfera fisiológica de 5% de oxigénio a cultura dos gâmetas e embriões num espaço (volume) muitíssimo menor do que o existente nas incubadoras tradicionais, do que resulta uma estabilidade muitíssimo maior da temperatura e da concentração dos gases referidos.

 

EMBRYOSCOPE

 

As incubadoras EmbryoScope acrescentam a mais-valia do sistema timelapse, em que a conjugação da incubadora, de um microscópio e de uma máquina fotográfica incorporada permite a obtenção de múltiplas images de todos os embriões presentes na incubadora, sem necessidade de retirar as placas de cultura. A partir destas images, o sistema cria um vídeo contínuo do desenvolvimento dos embriões, desde a fecundação até à transferência para o útero.

VÍDEO: EMBRYOSCOPE

A nossa óbvia expectativa é que todos estes recursos, pela melhoria da qualidade dos embriões e da cada vez mais fundamentada avaliação e interpretação da sua morfologia e dinâmica de desenvolvimento, conduzam ao aumento significativo da probabilidade de gravidez. 

Voltar para cima